João Ramos comanda com melhor volta em Espinho
João Ramos foi a boa surpresa da volta inaugural do Solverde Campeonato Nacional PGA, ao assumir hoje (quinta-feira) o comando do torneio sancionado pela Federação Portuguesa de Golfe e organizado pela PGA de Portugal, pelo quarto ano consecutivo no Oporto Golf Club, em Espinho, com 13 mil euros em prémios monetários.
 
 
 
A surpresa não é a qualidade de jogo do profissional do Oitavos Dunes, em Cascais. Pelo contrário, em 2015, ainda amador, já jogava um ‘play-off’ para discutir um título internacional do Algarve Pro Golf Tour e em 2016, como profissional, conquistou mesmo um desses torneios do agora rebatizado Portugal Pro Golf Tour. A surpresa prende-se com o excelente resultado de 65 pancadas, 6 abaixo do Par, no Oporto Golf Club.
 
 
 
Não é a melhor volta da sua carreira, mas é o seu melhor resultado de sempre neste campo de Espinho, que tantos problemas lhe causou no passado. Com efeito, nas três edições anteriores do Solverde Campeonato Nacional PGA no Oporto Golf Club, João Ramos nunca tinha sido capaz de bater o Par do campo.
 
 
 
O melhor que fez foi igualar o Par-71 em três de nove voltas aqui disputadas. Em termos de classificação geral final, foi 5.º (+1) em 2015, 15.º (+9) em 2016 e 14.º (+11) em 2017.
 
 
 
 «O objetivo é sempre o mesmo, que é ganhar, e fiz uma boa primeira volta, mas nada está decidido, longe disso, faltam ainda dois dias», disse o português de 24 anos, que deslumbrou com um cartão com 1 eagle e 5 birdies para apenas 1 bogey.
 
 
 
«Aqui no Oporto foi sem dúvida o meu melhor resultado, porque aqui nunca jogado grande coisa e este ano vinguei-me. Fiz 1 eagle num Par-4, de resto foi um jogo sólido de fairways e greens. Hoje tivemos sorte não houve vento, esteve calor, com condições perfeitas e aproveitei. Os shots de saída foram bons, os shots ao green também e, claro que foi preciso meter os putts», acrescentou o profissional da Wilson Staff, que mudou há pouco tempo de movimento de putt e de putter (taco), com os resultados a virem agora ao de cima.
 
 
 
As excelentes condições meteorológicas associaram-se «a um posicionamento acessível das bandeiras», como referiu Tomás Bessa, e «à qualidade dos jogadores, com muitos candidatos», como frisou Tomás Silva, para além de os jogadores chegarem hoje em dia a este torneio «bastante rodados, depois de um ano recheado de competição internacional», como salientou o presidente da PGA de Portugal, José Correia.
 
 
 
Não admira, por isso, os bons resultados neste primeiro dia do Solverde Campeonato Nacional PGA, com nove dos 36 participantes do torneio masculino a baterem o Par-71 do campo mais antigo de Portugal.
 
 
 
João Ramos tem a sua liderança presa por 1 escassa pancada sobre o inglês residente no Algarve, Nathan Brader, cuja volta de 66 (-5) incluiu 5 birdies, sem ter perdido qualquer pancada. Tal como Ramos, também Brader procura um primeiro título na prova, embora, no seu caso, tenha sido campeão nacional de sub-18 nos tempos de amador.
 
 
 
O 3.º lugar é partilhado por três jogadores com 67 pancadas, 4 abaixo do Par: o campeão nacional de 2012, Hugo Santos; o campeão nacional de 2014 e 2015, Tiago Cruz; e o n.º1 da Ordem de Mérito 1080 Produções da PGA de Portugal de 2017, Tomás Silva, este ainda à procura do seu primeiro título nacional de profissionais, depois de ter sido triplo campeão nacional amador.
 
 
 
Ainda com resultados abaixo do Par estão o vice-campeão nacional de 2017, João Carlota, com 68 (-3) em 6.º; o 7.º posto é dividido por dois jogadores que nos seus tempos de amadores venceram Majors da Federação Portuguesa de Golfe, Tomás Melo Gouveia e Miguel Gaspar, ambos com 69 (-2); e no grupo dos 9.º classificados, com 70 (-1), surgem o campeão nacional de 2011 e 2016, Ricardo Santos, e Kiko Matos Coelho.
 
 
 
Ricardo Santos é o mais consagrado de todos os presentes, enquanto Kiko Matos Coelho tem apenas 15 anos e é o melhor amador em prova. Já foi campeão nacional de sub-12 e de sub-14, está no seu primeiro ano de sub-16 e é impressionante que esteja a apenas 5 pancadas do líder!
 
 
 
Amanhã (sexta-feira) começam os torneios feminino e de seniores e os três eventos do Solverde Campeonato Nacional PGA terminam no Sábado.
 
 
 
No Domingo o Oporto Golf Club recebe o Mateus Rosé Pro-Am, num dia em que os praticantes amadores são convidados pelos patrocinadores, pelo clube e pela organização para jogarem ao lado dos melhores portugueses, no sistema de stableford net com três quartos de handicap (2 Ball / Better Ball).
 
 
 
O Solverde Campeonato Nacional PGA e o Mateus Rosé Pro-Am são ainda patrocinados pela Câmara Municipal de Espinho, Federação Portuguesa de Golfe, Audi e Hotel Apartamento Solverde (alojamento oficial do torneio). Têm ainda os apoios da Vitalis, GreatGolf, e apresentam como parceiros media a SportTV, Porto Canal, Forum TV, Record, Portugal Golf & Islands, Golf 2 All, GolfTattoo e Cision.
 
 
 
 
 
GABINETE DE IMPRENSA DA PGA DE PORTUGAL