Campeã Leonor Bessa em falta campeão Tomás Silva já lidera
A falta de comparência da campeã Leonor Bessa e a grande primeira volta do campeão Tomás Silva marcaram o arranque hoje (quinta-feira) do Solverde Campeonato Nacional PGA.
 
Em 2019 o torneio apresenta algumas novidades, designadamente o aumento de prémios monetários para 13.400, o montante mais elevado dos últimos anos; o regresso dos amadores em força, com quase duas dezenas a desafiarem os profissionais; e o aumento de competição no torneio feminino de duas para três voltas, tal como o masculino.
 
E foi exatamente esta última alteração que motivou a falta de comparência de Leonor Bessa à prova organizada pela PGA de Portugal e pela Federação Portuguesa de Golfe, no Oporto Golf Club, em Espinho.
 
As principais jogadoras portuguesas há muito desejavam que o seu torneio também se estendesse por 54 buracos e este ano a FPG conseguiu que a competição contasse para o ranking mundial amador mas, para isso, seria preciso haver um mínimo de três voltas.
 
Ora a campeã nacional pensava que a prova iria começar apenas na sexta-feira como nos anos anteriores e quando soube já era tarde. Leonor Bessa admitiu o erro, ficou verdadeiramente consternada, lamentou o sucedido, mas compreendeu ser impossível abrir uma exepção.
 
Com Leonor Bessa de fora, Susana Ribeiro assume ainda mais favoritismo. Campeã nacional três vezes seguidas entre 2017 e 2017, tinha ficado no ano passado no 2.º lugar, e hoje igualou o Par-71 do campo de Espinho, melhor do que qualquer uma das suas voltas do ano passado.
 
No entanto, apesar de ter sido um bom resultado, nem por isso aquela que é considerada a melhor jogadora portuguesa de sempre assumiu a liderança.
 
Tudo porque uma jovem de apenas 15 anos, Sofia Barroso Sá, a atual n.º1 no ranking amador da FPG, deslumbrou com um cartão de 70 pancadas, 1 abaixo do Par.
 
A jovem jogadora de Belmonte anda a deslumbrar o golfe nacional há mais de um ano, com vitórias na Taça FPG e o 2.º lugar no Campeonato Nacional Amador Audi deste ano. Há pouco mais de um mês, na Taça Manuel Agrellos, foi uma dor de cabeça às melhores profissionais portuguesas e hoje voltou a fazer-lhes o mesmo.
 
No torneio masculino, Tomás Silva iniciou a defesa do título da melhor maneira, ao protagonizar uma volta de 63 pancadas, 8 abaixo do Par. Para se ter a noção da qualidade deste resultado, basta dizer que em 2018, no mesmo campo, ao longo dos três dias de prova, só João Carlota foi capaz de igual resultado.
 
Tomás Silva comanda já com uma vantagem de três pancadas sobre Tomás Melo Gouveia e Tomás Bessa, ambos com 66 (-5) a partilharem o 2.º lugar. Qualquer um deles irmão de jogadores famosos. Tomás Bessa irmão de Leonor, a ausente campeã de 2018. Tomás Melo Gouveia irmão do famoso Ricardo que hoje terminou em 69.º (72, Par) no BMW PGA Championship, um dos mais importantes torneios do European Tour, em Inglaterra.
 
O Solverde Campeonato Nacional PGA são patrocinados pela Câmara Municipal de Espinho, Federação Portuguesa de Golfe, Mateus Rosé, Audi e Hotel Apartamento Solverde (alojamento oficial do torneio). Apresentam como parceiros media a SportTV, Porto Canal, Record, Portugal Golf & Islands, Golf 2 All, GolfTattoo e Cision.
 
 
GABINETE DE IMPRENSA DA PGA DE PORTUGAL